30 de agosto de 2014

Ela tinha um sonho...

O texto foi originalmente publicado aqui no blog no dia 17 de Janeiro de 2013. Mas vale a reprise, viu? Quer conferir?


A chuva, mais um dia, brindava a plantação.
Era domingo, depois dos afazeres, finalmente sentou-se um pouco, olhando as gotas que vinham do céu.
Jê brincava sentado no assoalho da varanda com seus carrinhos plásticos. Quando se tem um filho, passa-se a ter responsabilidade.
A responsabilidade de não morrer.
De vê-lo crescer, procriar e assim ele sucessivamente faria o mesmo.
Uma mãe de verdade não apenas amamentava, também ensinava a repartir o alimento. Desejava que quando crescesse, seu filho se tornasse um homem lindo, e mesmo assim soubesse que era igual a todos os outros. Dedicava-se todos os dias para que seus gestos, passos, atitudes, palavras, fossem iluminados para que seu filho visse nela um exemplo e crescesse um homem de sabedoria, amor e alegria.
Uma mãe de verdade não desistia do filho, ... e nem de si mesma.
Mas em algum momento ela desistiu. Nada mais de banhos de chuva, correr ao vento, conversar com estranhos. Viver a vida!
Deixar de acreditar nas mil e uma estórias sobre segurança. Um emprego, família, casa. Segurança! Colocar o pé na estrada: gesto irresponsável. Trocar o certo pelo duvidoso: coisa de ignorante.
Pra que tentar quando já se tem! Quando tantos já fizeram o mesmo caminho e é muito mais fácil seguir pela trilha aberta.

Pra que ir até Machu Picchu no Peru, se só têm pedra lá?
Menina estúpida! Ir tão longe pra ver pedra! Economizar tanto, pra comer poeira e ver pedras, e depois voltar pra casa de mãos vazias.
Vivia na terra dos sonhos, onde as estrelas brilhavam, onde se tinha...mas não era...
Muitos eram agredidos impiedosamente por ousarem querer ser.
Ser qualquer coisa.
Ser o que os seus não eram.
Nada de abandonar o certo pelo duvidoso. Antes um pássaro na mão, que dois voando. Não se arriscava! Por que não era preciso. Tinha tudo, comida, casa, família, filho. O que mais poderia querer?
Machu Picchu era para desocupados, rebeldes e irresponsáveis filhinhos da classe média. Que iam lá, fotografavam sempre no mesmo ângulo, não entendia nada sobre o lugar, mas retornavam contando mil e uma estórias como se realmente soubessem o que estavam dizendo.
Aquela mulher, sentada na varanda quando era jovem sonhava, desejava, mas não lutava.
Aqueles pés que caminhavam descalços e ainda macios, eram a prova do pouco que percorreram do mundo. Podia ver a tristeza se aproximando de sua alma. Sempre era assim. Sempre que ousava olhar para trás, para sua vida, para o que deixou de fazer, uma forte dor batia no peito, e sufocava.
Dor na alma. Antes de se acomodar, a dor. A sensação de imenso vazio. Só vontade de chorar, nada mais! Quando fechou as portas para o sonho, quem ficou foi a dor.
Agora ela voltava. Sentia uma dor no peito, pelos sonhos desfeitos. A mesma dor da perda de suas fantasias, só com uma diferença: não as estava perdendo, por que não as tinha mais. Então, o que era aquilo?
Dor de perder, sem perda?
Ou dor de uma nova perda?
-   Mãe!
Pulou da cadeira, do susto que levou. Saindo enfim, de seus pensamentos que só a faziam sofrer. Melhor não pensar mesmo! Quanto mais pensava mais doía.
Tampar o sol com a peneira...
-   Por que Deus não é mulher?
Meus Pai Amado! Lá vinha ele com suas reflexões.
-   Por que é assim e pronto! – disse sem mais delongas.
Estava doída.
Doída por dentro, na alma.
Levantou-se e foi coar um café.
Havia dois caminhos diante de todos: ver; ou continuar com o véu a cobrir o olhar. Poder-se-ia dar umas espiadelas de vez em quando,... e começar a pensar. Então, se abriam mais dois caminhos: o da Santidade, e o da Loucura.
Pensamentos podiam elevar ou enlouquecer.
Quem sabe, apenas enfraquecer...
M. C. Jachnkee@copyright
...o texto é ficção...



29 de agosto de 2014

Literatura Nacional.



Olá amores.
Durante o mês de setembro irei dedicar as postagens do blog para divulgação da literatura nacional. Teremos divulgação de capas, book trailer, entrevistas...enfim, muita coisa legal para quem gosta da literatura desse Brasil lindo e para quem está interessado em conhecer mais sobre ela.

O que vocês acharam?

Eu vi a iniciativa no blog da Bianc.
Mas a ideia mesmo é da Carol Gama do blog Entre Livros.

Palavras da Carolina Gama - idealizadora do projeto:  "criamos esse mês especial na intenção de chamar a atenção dos leitores para os autores nacionais. Temos visto editoras investirem neles e como queríamos muito ter algo dedicado a eles no blog, surgiu a ideia da primeira edição. Em Setembro internacionais não entram no blog! Notícias, entrevistas, nossa coluna, eventos, tudo que fizermos, será por e para os nacionais. Por isso fizemos questão de convidar blogueiros, editoras e autores que apoiam nossos autores. Assim todo mundo divulga, todo mundo se ajuda e sai ganhando."



Quem mais está interessado em participar?
Vamos lá, vamos levantar poeira!
Beijos

M.C.Jachnkee.

28 de agosto de 2014

Vídeo-resenha.

Olá leitores.




A postagem de hoje é para dividir com
você um vídeo-resenha que meu livro recebeu da leitora Fabíola.
Adoraria saber a sua opinião.

Beijos mil.
M.C.Jachnkee - autora de Amazônia- Um Caminho para o Sonho.


Link da resenha aqui: Vídeo-resenha

21 de agosto de 2014

Cadê o meu limão?



Imagem:Aqui
Você sabia?

No simples ato de ingerir o suco fresco de um limão acontece algo como colocar um quantum de sol dentro de nós, iluminando o nosso interno: cada célula, cada sombra, cada impureza.

Assim sendo, o limão tem motivos de sobra para ser o primeiro na lista dos alimentos que favorecem a vida: o bom-humor, o bom astral, a lucidez, a clareza, a verdade (ilumina tudo), a vitalidade, a fecundidade (de ideias, de visões, de gestação ...) e a memória.

Texto: Conceição Trucom é química, cientista, palestrante e escritora sobre temas
voltados para o bem-estar e qualidade de vida.

13 de agosto de 2014

Cabelo mais curto.



Olá meus lindos leitores do blog.
Hoje venho com uma postagem para mostrar o meu novo corte de cabelo.
Estou amando o cabelo mais curto na parte de trás, na frente ele já estava assim, apenas pedi para a cabeleireira cortar quatro dedos atrás e ficou deste modo que vocês podem ver nas fotos.

O que vocês acharam? Quem aí não tem medo de cortar o cabelo? Uma vez eu tinha, mas depois que ousei a primeira vez, agora deixo o cabeleireiro fazer o que quiser, ou eu mesma peço para cortar mais. rsrsrs
Na segunda foto, como eu joguei a cabeça para trás, deu a entender que está mais comprido, mas é apenas efeito...

Beijinhos e quem gostou deixa um comentário.
M.C.Jachnkee- autora de “Amazônia- Um caminho para o Sonho”

10 de agosto de 2014

O que andei assistindo...




Olá queridos. Tudo bem com vocês?
Na postagem de hoje colocarei os filmes que andei assistindo nestes últimos dias.

A Culpa é das Estrelas.


Odette, una comedia sobre la felicidad.


 
Um Conto de Inverno


Adoraria saber qual deles vocês assistiram e se gostaram.

Beijinhos
M.C.Jachnkee
© M.C. JACHNKEE. Powered by Blogger :: Voltar ao topo imagem-logo